Menu

Zico abre Congresso Nacional e Internacional de Fisioterapia; evento vai até 15 de outubro

13 OUT 2017
13 de Outubro de 2017
A Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva (Sonafe) realiza até 15 de outubro, em Caldas Novas-GO, o oitavo Congresso Brasileiro e sexto Congresso Internacional de Fisioterapia Esportiva.

O objetivo do evento é a capacitação dos profissionais em fisioterapia, além de trocas de experiências voltadas para a prevenção, avaliação, tratamento e reabilitação do atleta e daqueles que praticam esporte por diversão e saúde.

“Um congresso aberto, não apenas para fisioterapeutas, tivemos médicos, nutricionistas, psicólogos que foram inscritos. O grande foco é disseminar a fisioterapia esportiva, que é uma das especialidades, não só o trabalho profissional, mas também o esporte amador”, afirmou o presidente do Congresso Thiago Vilela.

O congresso beneficia mais de 1400 inscritos, que terão acesso às novidades da medicina esportiva e do mercado de trabalho.

"Esse congresso especialmente da SONAFE conseguiu um número recorde de inscritos. É nosso oitavo congresso nacional e sexto internacional. E a cada dois anos, desde 2004, fazemos este movimento em termos de evento científico, vamos conquistando mais espaço. Não só na ciência, na academia, mas também na parte clínica. Começamos a ser mais respeitado por outros profissionais. Trabalhamos mais próximo dos médicos e educadores físicos. E trocarmos experiência é fundamental", afirmou a presidente do SONAFE Luciana De Michelis Mendonça. 

A abertura do evento na última quarta-feira (11) contou com a presença do ex-jogador e agora técnico, Arthur Antunes Coimbra, o Zico. Ele falou sobre a importância do profissional de fisioterapia em um clube de futebol. 

Ao longo da carreira, o Galinho de Quintino, teve que contar várias vezes com profissionais de fisioterapia, inclusive no período em que jogava no Japão.

"A fisioterapia é de suma importância para qualquer staff do futebol ou outro esporte. Primeiro a possibilidade de uma prevenção, ainda mais no futebol que é um esporte de contato. Um trabalho especializado que hoje, a fisioterapia permite isso. Segundo temos que avalizar este tipo de evento, porque o congresso sempre é importante. Vão surgindo fatos novos no futebol. E a fisioterapia é fundamental", afirmou Zico.

Este trabalho de fisioterapeuta acompanhou Zico por vários lugares.

"Desde do Japão, onde levei a fisioterapia, junto com todo trabalho de futebol que estava existindo. Jamais abri mão de ter um fisioterapeuta, para dar um apoio necessário ao atleta. A medicina esportiva no Brasil é muito forte", comentou Zico.     

Por Eduardo Oliveira
Voltar


Tenha você também a sua rádio